218 244 801 . 930 506 689 geral@coreclinic.pt Av. República 43 - Lisboa
Pe Diabetico

Pé Diabético

Os diabéticos são pessoas mais propensas a ter problemas nos pés, devido a duas causas principais: neuropatia (alteração dos nervos) e angiopatia (má circulação sanguínea). A neuropatia causa perda de sensibilidade, o que faz com que o diabético não sinta os sinais de alerta como a dor ou desconforto nas extremidades. A angiopatia nos membros inferiores reduz a capacidade de cicatrização e cura, mesmo de pequenas feridas, levando a que se infetem com facilidade.

O diabético deve estar muito atento aos seus pés. Um pequeno problema pode ter graves complicações, como a amputação de parte do pé, do pé ou até mesmo do membro inferior.

Problemas nos pés causados pela Diabetes

A diabetes coloca-o em risco de desenvolver uma vasta gama de problemas nos pés, como:

Infeções e úlceras (feridas) que não cicatrizam: Por causa da angiopatia, cortes ou bolhas podem facilmente se transformar em úlceras que ficam infetadas e não curam. Esta é uma complicação comum e séria da diabetes. Uma úlcera é uma ferida na pele que pode abrir o caminho da infeção até ao osso – Osteomielite.

 Calos: Quando a neuropatia está presente, o diabético não tem perceção e o calçado pode estar a causar zonas de pressão ou fricção. Procure o seu Podologista para tratar devidamente os calos e calosidades porque estes podem dar origem a uma úlcera.

Pele seca e com fissuras: A angiopatia pode tornar a pele seca. Isso parece inofensivo, mas a pele seca pode resultar em fissuras ou gretas que podem se tornar em feridas e são uma porta de entrada de microrganismos.

Distúrbios ungueais: Unhas com tendência a encravar na pele ou com infeções fúngicas podem passar despercebidas por causa da perda de sensibilidade. Se não são tratados profissionalmente, podem originar infeções.

Dedos em garra e joanete: A neuropatia motora (lesão do nervo que afeta os músculos) pode causar debilidade muscular e perda de tónus nos pés, resultando em deformações ósseas. Se não tratadas, essas deformidades podem causar úlceras por ficção no calçado.

 Ossos frágeis: A neuropatia e a angiopatia podem levar a ossos frágeis (osteoporose). Isso torna o diabético suscetível a fraturar um osso, mesmo sem lesão da pele – fratura de esforço.

Pé de Charcot: Esta é uma deformidade complexa do pé. Desenvolve-se como resultado da perda de sensação e de um osso fraturado não detetado que conduz à destruição do tecido mole do pé. Por causa da neuropatia, a dor da fratura passa despercebida e o paciente continua a caminhar sobre o osso fraturado, tornando a situação pior. Esta complicação incapacitante é tão grave que a amputação pode se tornar necessária.

pe-diabetico

Cuidados e Prevenção do Pé Diabético

O diabético deve ter um cuidado especial com os seus pés a fim de evitar estas complicações.

Deve começar por inspecionar os seus pés diariamente, observando possíveis problemas de pele ou de unhas. Esteja atento ao aparecimento de cortes, vermelhidão (eritema), inchaço (edema), mau odor nos pés, erupção da pele, perda dos pêlos dos dedos dos pés, alterações ou lesões nas unhas tais como deformações ou paragem no crescimento da lâmina ungueal.

Observe ainda sinais de alterações na circulação através da cor dos dedos dos pés.

Caso sinta dor na perna ao praticar uma atividade ligeira ou mesmo em repouso, deve procurar ajuda profissional de imediato junto do seu médico, pois pode estar perante um bloqueio de uma artéria.

Deve cortar as unhas de forma reta, não muito rentes. Se tem dificuldade em cortar as suas unhas, procure ajuda do seu podologista.

Não tente tratar sozinho os seus calos ou calosidades. Pode ser perigoso utilizar lâminas ou produtos cáusticos para a remoção desta alteração da pele.

Não ande descalço, mesmo em casa. Os sapatos devem proteger os seus pés, daí a escolha do calçado ser muito importante. Opte por sapatos cómodos, que respeitem não só o comprimento, como a largura e altura dos seus pés. Verifique que não existem costuras ou rugosidades interiores dos sapatos que possam provocar pontos de fricção com os pés. Sacuda os seus sapatos antes de os calçar e verifique que, também as meias não apresentam costuras nem elásticos fortes.

Um doente diabético, mesmo sem alterações visíveis nos pés, deve fazer revisões periódicas com o podologista. Caso verifique alguma situação anormal, deve procurar ajuda profissional com urgência.

Principalmente na diabetes, a prevenção é o melhor tratamento.

marcar agora consulta

Se tiver alguma questão, poderá enviar-nos através do formulário de contacto, ou se preferir, publique um comentário abaixo. Responderemos às suas questões o mais brevemente que nos for possível, via e-mail.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *